Presidente do Tribunal de Justiça de SP quer zerar a fila de precatórios até 2023

Presidente do Tribunal de Justiça de SP quer zerar a fila de precatórios até 2023

Zerar a fila de precatórios do Estado de São Paulo até 2023. Essa é uma das prioridades da nova gestão do Tribunal de Justiça de São Paulo, conforme declaração feita pelo seu presidente, desembargador Ricardo Anafe, durante a posse solene da nova direção da Corte. Segundo Anafe, o Tribunal já vem trabalhando para agilizar o repasse dos pagamentos aos credores alimentares do Estado. A meta agora é pagar, até o final do próximo ano, todos credores que aguardam para receber seus direitos.

“É uma excelente notícia para os credores”, afirma o advogado Messias Falleiros, diretor executivo da Advocacia Sandoval Filho. “Isso mostra o empenho do Judiciário em tornar mais ágil o pagamento aos credores”. Uma consequência dessa decisão, lembra o advogado, é que os credores vão perceber que é melhor esperar para receber o valor integral dos créditos a quem tem direito, evitando vender seu precatório ou mesmo cair nos vários golpes por parte daqueles que os assediam diariamente.

Compromisso público

O compromisso público do novo presidente aconteceu durante a sessão solene realizada pela nova cúpula do Tribunal de Justiça de São Paulo, em 21/3, na capital paulista. À imprensa, Ricardo Anafe destacou os esforços desempenhados pelo Tribunal para aprimorar o trabalho realizado pela Unidade de Processamento das Execuções Contra a Fazenda Pública (Upefaz).

O intuito desta gestão é investir também na Diretoria de Execuções de Precatórios e Cálculos (Depre) do TJ-SP para que os pagamentos sejam processados e repassados imediatamente aos credores. “Ou seja, à medida que o precatório for pago, ele será repassado imediatamente aos beneficiários daquele precatório”, afirmou o presidente do TJ-SP. “Com isso nossa ideia é zerar o pagamento dos precatórios”, declarou.

O presidente do TJ-SP lembrou, ainda, do aumento considerável no volume de pagamentos processados pelo Tribunal em 2021. Naquele ano, foram repassados R$4 bilhões aos credores, o dobro da média de anos anteriores. “Esse ano a ideia é ir além dos R$ 4 bilhões e começar o pagamento direto perante a Depre”, confirmou Anafe.

Com informações da revista eletrônica Consultor Jurídico (acesse aqui) e do portal R7 (acesse aqui).

 

Leia também:

Novo corregedor-geral de Justiça do Estado de São Paulo quer agilizar pagamentos de precatórios

Sob liderança de Ricardo Anafe, nova gestão assume Tribunal de Justiça de São Paulo

Superando média de anos anteriores, mais de R$ 4 bilhões regularizam dívidas com credores alimentares em 2021

 

(Foto: Tribunal de Justiça de São Paulo)

Compartilhe
menu
menu
Atualizado: 27/05/2022